Delegacia de Homicídios de Londrina trabalha com três linhas de investigação para esclarecer a morte da transexual Natasha Galvão, 26 anos, registrado na noite do dia 30 de junho. Ainda não se pode dizer se foi um caso de homofobia, feminicídio ou homicídio.

Natasha foi assassinada com um único tiro na região do peito na esquina da Rua Cabo Verde com a Avenida Leste Oeste, centro de Londrina. Segundo a Polícia Civil, a vítima ficava no cruzamento em busca de clientes.

O tiro foi disparado por um motorista de uma caminhonete preta, conforme mostram a imagens de câmeras de segurança. O veículo aparece sendo estacionado quando Natasha cruza a rua e chega perto do vidro. Em seguida, é atingida, cambaleia e cai na calçada. O atirador foge na sequência protagonizando uma intensa perseguição envolvendo viaturas da Polícia Militar, que só acabou na BR-369, próximo ao Ceasa, na saída para Ibiporã.

Ele estava armado com uma pistola 9mm e depois ainda se envolveu em um acidente e fugiu para o meio do mato, quando tentou disparar contra os policiais do Pelotão de Choque e acabou sendo morto.