Frequentar uma universidade em um país diferente do seu é uma decisão importante, pois significará uma mudança em muitos aspectos da sua vida. Você não apenas ficará longe de sua família e amigos por longos períodos de tempo, mas também terá que se acostumar a se relacionar com uma nova cultura e talvez experimentar mudanças climáticas até então desconhecidas.


Aqui estão dez perguntas que qualquer estudante interessado em se mudar para o exterior para fazer estudos universitários deve se perguntar antes de dar o grande passo:

1. Eu realmente preciso ir para o exterior para cursar a universidade?

No caso do curso de medicina, mesmo que as universidades locais ofereçam programas acadêmicos de alta qualidade, boa parte dos estudantes têm grande dificuldade de ingressar nas instituições de ensino de seu país de origem. Portanto, se houver uma possibilidade de realizar o sonho da carreira médica em um destino internacional, você deve estar pronto para assumir o desafio de levar sua vida de estudante no exterior. Os desafios que você terá que enfrentar e os conhecimentos que irá adquirir o ajudarão a se tornar um cidadão do mundo.

2. Quando eu começo os procedimentos?

Depois de tomar a decisão de estudar no exterior, planeje cuidadosamente a sua ida. Se você vai em busca de um diploma de graduação relevante, esforce-se para obter boas notas ao longo do ensino médio e prepare-se para ser fluente em um segundo idioma. Se você vai trabalhar alguns anos antes de optar pela pós-graduação, economize dinheiro e acumule experiência profissional relacionada à sua carreira, para que depois possa se concentrar apenas na especialização.

3. Que curso devo escolher?

Em essência, essa é a pergunta que determinará o seu futuro profissional. Por isso, não tenha pressa, analise as opções disponíveis e leve em consideração a sua vocação e as áreas ou disciplinas em que se destacou em todas as suas etapas como aluno.

4. Quanto vai custar estudar fora?

O valor do investimento em estudos universitários no exterior varia de acordo com o tipo de curso selecionado, sua duração, a reputação da instituição e o país onde está localizada a universidade. Porém, é possível revisar cada um dos aspectos citados pela Internet, fazendo uma espécie de análise de custo-benefício antes de tomar a decisão final.

5. Quando devo me inscrever?

A maioria das instituições de ensino superior em todo o mundo realiza dois processos de admissão anuais. Estes procedimentos costumam ser bem estruturados e devidamente especificados online, nos sites das universidades, onde cada candidato deve se inscrever e tirar suas dúvidas. Existe um intervalo de dois meses, no mínimo, entre a matrícula e o início das aulas, sendo o prazo para a recepção das candidaturas entre quatro e cinco meses antes do início do período letivo, embora isso varie de instituição para instituição.

6. É necessário fazer exames especiais?

Você deve se certificar de que cumpre todos os requisitos acadêmicos para ser considerado elegível para fazer o curso que deseja, especialmente aqueles requisitos relacionados ao idioma. As universidades geralmente exigem notas em testes de proficiência em espanhol, inglês, ou outras línguas. Por outro lado, também existem exames que devem ser feitos se você deseja fazer pós-graduação no exterior.

7. Posso me inscrever para uma bolsa de estudos?

Cada país, instituição e mesmo programa de estudo tem um certo número de bolsas de estudo ou ajuda financeira para estudantes internacionais. Geralmente estas bolsas são concedidas pela universidade, governo, organizações privadas e filantrópicas. Algumas das mais populares são as bolsas concedidas pelos programas Erasmus Mundus, Fulbright, Chevening, DAAD, Eiffel e Rhodes.

8. Posso trabalhar meio período?

Este aspecto constitui uma das razões fundamentais pelas quais um aluno aceita ou rejeita determinada oferta universitária. Países como os Estados Unidos exigem permissão especial por escrito de instituições para autorizar estudantes estrangeiros a trabalhar meio período fora do campus. Enquanto isso, no Reino Unido, Nova Zelândia e Austrália, os estudantes só podem aceitar empregos semanais por um número predefinido de horas quando estão nas aulas, e em tempo integral quando estão de férias ou no final de cada semestre.

9. Vou me acostumar a morar em outro país?

Um dos principais desafios que os estudantes estrangeiros enfrentam é a saudade de casa, pois sentem falta do conforto e do carinho da família e amigos. No entanto, é uma experiência única e inesquecível que concede força, uma forma de pensar mais livre e independente e criar novas amizades para toda a vida.



10. Serei capaz de morar no campus?

A maioria das instituições educacionais em todo o mundo oferece acomodação para estudantes estrangeiros em suas instalações durante o primeiro ano do curso. Da mesma forma, as universidades norte-americanas também incluem um plano de alimentação para estudantes estrangeiros, que permite que eles paguem antecipadamente por todas as suas refeições. Reveja cuidadosamente o site da instituição de sua escolha para saber mais detalhes sobre essa possibilidade, sempre ciente que, depois da chegada no novo país, surgirão muitas alternativas de se instalar definitivamente em um novo local.  

Foto: Pixabay