Desde o dia 31 de julho os estudantes brasileiros têm permissão para entrar em território italiano. A Itália é um dos países europeus que mais recebe alunos do Brasil que buscam formação profissional em suas renomadas universidades, sendo destaque inclusive entre as melhores do mundo.

Após sete meses de espera, a única condição que impede estudantes de entrar Itália, é se apresentarem algum sintoma de covid-19. Caso contrário, estando matriculados em uma universidade italiana, estão autorizados a entrarem e permanecerem no país durante o período dos estudos.

Viagens de turismo à Itália ainda não são permitidas para brasileiros, mas a tendência é que nos próximos meses comece uma flexibilização, a exemplo do que aconteceu com outros países europeus como Portugal, Espanha e França.


Saiba como tirar visto italiano

Antes de entrar na Itália, é necessário cumprir alguns procedimentos burocráticos, entre eles, tirar o visto italiano, que nesse caso específico seria para estudantes.

Para conseguir um visto para Itália, primeiro é preciso ir até a embaixada ou um consulado italiano no Brasil.  Além do visto, outros documentos importantes para estudantes internacionais na Itália, são solicitados nestes locais. Assim, é possível verificar se o interessado preenche os requisitos necessários.

Além dos estudantes, todas as pessoas que têm necessidade de ficar na Itália por um período superior a 90 dias, precisa de um visto, seja para turismo ou negócios. Para a solicitação, é preciso apresentar três documentos: formulário de solicitação de visto, passaporte com validade superior a três meses da estadia pretendida e duas fotos 3,5×4,5cm (padrão oficial italiano).

No caso de visto italiano para estudante de intercâmbio universitário, cursos de língua de seis meses a um ano, pós-graduação (Especializações, MBA, Mestrado e Doutorado), também é necessário apresentar a inscrição nos cursos de graduação ou pós-graduação, além do comprovante de hospedagem ou declaração de hospitalidade (que devem ser emitidos por um cidadão italiano ou estrangeiro residente no país), comprovante de renda que ateste todo o período de permanência na Itália e um seguro saúde.


Visto para autônomos

Além dos estudantes, trabalhadores autônomos que pretendem investir na Itália, seja pela qualidade de vida ou uma renda melhor que no Brasil, também podem solicitar um visto para atuar como empreendedor ou freelancer. As regras são um pouco diferenciadas dependendo do tipo final de trabalho.

Neste caso, além dos três principais documentos obrigatórios, é necessário apresentar um comprovante de alojamento, seja para imóvel alugado ou comprado, hospedagem na casa de um cidadão italiano ou estrangeiro com residência legal na Itália.

Além disso, é preciso mostrar um comprovante de renda para garantir a cobertura da estadia durante todo o período de permanência no país. Também é necessário um atestado relativo à individuação da atividade de empreendedorismo e recursos econômicos, documento este que é emitido pela Câmera de Comércio local, que não pode ser inferior ao triplo da renda anual do empreendedor interessado em trabalhar na Itália. Outra documentação importante é a autorização (nulla osta) da Questura (delegacia de Polícia responsável pelos assuntos como visto).

A Itália ainda é um dos destinos favoritos dos brasileiros que buscam um lugar com mais qualidade de vida, oportunidades de trabalho e investimentos, além de uma educação qualificada e valorizada em todos os países por contar com uma estrutura universitária renomada.